Não existe Deus?

Não existe Deus?

NÃO EXISTE DEUS?

Não existe Deus. Todas as maravilhas ao nosso redor são acidentais. Não foi um ser poderoso e inteligente que colocou bilhões de estrelas nos céus. Elas aconteceram por acaso. As estrelas e todos os planetas estão no seu curso e pendurados nesse universo por pura coincidência ou mero fortuito. A própria terra tem a iniciativa de girar por si só para que os mares continuem contidos nos seus limites.

A planta digitalis lanata se inventou sozinha para que o homem pudesse extrair o princípio ativo contra doenças cardíacas. As plantas e árvores que geram alimentos e frutos para saciar a nossa fome apareceram do nada.

A noite aconteceu porque ela se cansou do dia. O grau de inclinação da terra para termos as estações da primavera, verão, outono e inverno de forma distinta é apenas uma ilusão. Os pólos magnéticos que dão ao homem a navegabilidade no mar e no ar cresceram sozinhos.

Aparentemente assustadoras, as nuvens Mammatus também são mensageiras de tempestades e outros eventos meteorológicos extremos. Normalmente compostas de gelo, elas podem se estender por centenas de quilômetros em vários sentidos e formações, permanecendo visíveis e estáticas entre 10 minutos e 1 hora. Embora pareçam portadoras de más notícias, elas são apenas mensageiras, aparecendo antes e/ou depois de uma grande mudança meteorológica. Mas, isso é algo casual.

A glândula endócrina chamada pâncreas que forma a insulina e nos protege contra um coma diabético não passa de um erro anatômico.

O coração humano é o órgão responsável pelo percurso do sangue bombeado através de todo o organismo, que é feito em aproximadamente 45 segundos em repouso. Bate cerca de 109.440 a 110.880 vezes por dia, bombeando aproximadamente 7500 litros de sangue por dia. Ele consegue tal proeza pelo simples capricho. Afinal de contas, ele poderia parar de bater por umas oito horas para descanso como todo ser humano normalmente faz diariamente.

O cérebro humano tem a capacidade multi-linguística desde a infância e a língua na sua forma e flexibilidade capacita o ser humano a se comunicar com sons inteligíveis que estão reservados somente ao ser humano.

Desde o momento da concepção, o útero, com apenas um palmo de longitude, começa a crescer adaptando-se ao tamanho do embrião. Nas oito semanas de gestação o útero já aumentou a sua dimensão e apresenta-se com o tamanho de uma laranja media.  Na 12ª semana a matriz supera a pélvis e chega ao abdômen. Na 20ª semana já é visível desde o exterior.  Pode dizer-se que se divide em duas partes por uma linha imaginária que vai do umbigo ao púbis. A partir da 37ª semana o útero começa a descer, mais ou menos por debaixo da zona do apêndice. Uma vez que já aconteceu o parto, o útero inicia quase automaticamente a sua redução, recuperando o seu tamanho natural.  Passada uma semana desde o dia do nascimento, o tamanho do útero será menor devido às contrações ou retortas.  Quando o bebê celebra o seu primeiro mês de vida, o útero já terá o seu tamanho normal original.

E a vida assim vem à luz com todas as suas formas, cores e detalhes desde a cor do cabelo, dos olhos, tamanho dos dedinhos das mãos e dos pés e com todos os órgãos preparados para digerir, filtrar, alimentar, raciocinar, energizar, mover e fazer crescer!

Não existe Deus?  Você ainda tem coragem…?! Por favor, me poupe!!!

Antenor Gonçalves